Lies of P

Lies of P

released on Sep 18, 2023

Lies of P

released on Sep 18, 2023

Inspired by the familiar story of Pinocchio, Lies of P is an action souls-like game set in a dark Belle Époque world. Guide Pinocchio on his unrelenting journey to become human.


Released on

Genres

RPG


More Info on IGDB


Reviews View More

Finished it on PC game pass at launch. It is one of the best non-From Souls likes so far. Excellent combat and weapon customization. Enchanting ambience and some charming voice acting even. The level design is a strong effort to learn from From, but the "gotcha" enemy placements get old quite quickly. The plot is pretty rough too.

There is a mechanic called the P-organ, and a metal pipe erects from the wall after you make certain choices.

You're here.

Nesses últimos tempos venho jogando jogos incríveis e não poderia ser diferente com Lies of P. Chega ser chocante o quão bom esse jogo é considerando que é a primeira tentativa dos produtores nesse gênero tão complicado de construir. Parece que é um caso o qual a própria Fromsoftware fingiu ser outra empresa para lançar essa maravilha. Obviamente, o jogo não é isento de erros, mas posso dizer com certeza que Lies of P está concorrendo fortemente para ser o melhor jogo que toquei nesse ano. As pessoas tratam esse jogo como um bom jogo, mas acredito que seja um jogo incrível.

Toda a temática por trás da ideia de transformar o Pinóquio em um Dark Fantasy é genial. Krat é um dos lugares mais lindos e deprimentes que já vi em um vídeo game. Passar pelas avenidas, ver resquícios de uma civilização antiga, pedaços de músicas e efeitos sonoros que apenas seria possível nesse tempo fictício. É adorável como esse universo trata a mentira não como algo ruim, porém humano. Posso afirmar que essa narrativa faz um trabalho muito melhor sobre discussão de uma máquina ser humano do que certo jogo por aí. Deixo destaque para as músicas que são possíveis escutar no hotel. No momento que o jogador consegue o primeiro disco e o escuta, Lies of P demonstra estar vivo.

Temos um combate feito com excelência do início ao fim. Por mais que a curva de aprendizado seja ótima, existem certos chefes e cenários que fazem o jogador gastar horas e mais horas para vencer. Lies of P não é um jogo fácil e você precisará saber tanto dominar a mecânica de parry e esquiva para não sofrer muito. A janela para refletir nesse jogo é extremamente pequena comparada com a de Sekiro, pois acredito que isso foi feito pelo fato dos inimigos serem mais lentos, mas para o final do game é necessário ter uma ótima técnica de como aprender os tempos dos ataques por causa dos combos insanos que certos chefes tem. Porém, tanto visualmente e mecanicamente o jogo te recompensa muito por aprender essas mecânicas. Por mais que todo mundo trate refletir como a atração especial do jogo, eu discordo completamente. Acredito que Lies of P tenha um balanço almejável por qualquer outro jogo do gênero entre esquivar e refletir. Essa dança entre essas duas funções é tão bem feita que possibilita o jogador escolher quais ataques refletir e os quais esquivar. Ninguém está preso no mesmo combate da mesma forma, pessoas diferentes vão tomar decisões diferentes. Isso cria uma dinâmica incrível que faz o jogador estar sempre em momento de tomada de decisões. As vezes você vai preferir aprender refletir todo um combo para destruir a arma do inimigo e as vezes vai desejar aprender esquivar para ganhar uma janela de ataque mais para frente. Todos combates foram incríveis e me manteve engajado do início ao fim. Tudo isso reflete no fato da comunidade ter opiniões bem diversificadas em quais chefes são mais difíceis que os outros.

A parte mais louca é que eu ainda não terminei elogiar o sistema de combate. O jogo te dá tantas variedades de montar armas e experimentar com cada tipo que chega ser assustador como toda santa ideia idiota que você pode ter é viável. Tudo isso é possível, pois não existe uma barreira de atributo, além do peso, para impedir que o protagonista utilize certo tipo de equipamento. Lies of P grita para o jogador utilizar o arsenal que possuí sem medo algum. Até mesmo usar itens lançáveis é bom e intuitivo para passar de certas áreas. Além disso, a cominação do sistema do jogador recuperar uma cura após lutar bem junto com a reparação periódica da arma e os bloqueios que recuperam sua vida faz tudo ser tão recompensador, tenso e esperançoso ao mesmo tempo. Sério, existiu tantos momentos que meus olhos arregalaram enquanto me encontrava sem cura ou com a arma quase quebrando ou precisando de dar aquela refletida perfeita para a vida do personagem voltar. Foi tudo tão bem projetado e pensado para criar situações diferentes para cada jogador que demonstra que pessoas muitos inteligentes fizeram esse game.

Digo ainda mais: é apaixonante como os produtores entenderam que variedade de inimigo torna um SoulsLike tão bom. Além de ter um combate de excelência, eles não pararam por ai. É desnorteador o quão bem pensado e variados são os inimigos em Krat. Temos uma trindade entre humanos, títeres e carcaças. Cada tipo tem um estilo único de combate e ao mesmo tempo estão intrinsecamente conectados ao sistema de combate. Fica mais interessante ainda quando esses tipos mesclam sendo requisitado que o jogador esteja sabendo como lutar com os dois tipos ao mesmo tempo. Muitos jogos tentam fazer isso, mas na maioria das vezes falham em deixar divertido, porém esse não é o caso de Lies of P. Isso me conquistou tanto que eu apenas consigo pensar em um único chefe no jogo inteiro que seja um pouco desapontador, porém não ruim. Todos os outros chefes são desafios muito bem pensados e extremamente divertidos de aprender e conquistar a vitória. São bastante difíceis? Claro, mas de um jeito bom.

Talvez o único pecado que Lies of P cometa é em seu Level Design. Está longe de ser ruim, mas é bastante linear com poucas conexões que veteranos na série Souls tanto ama. Seria muito interessante haver atalhos que conectam regiões do mundo e não apenas ponto A ao B. Porém, se o jogador interessa apenas pelo combate, isso não será nem um pouco problemático. Já que como os locais são lineares, resolver quests e pegar itens não é nem um pouco chato. Porém, vou deixar aqui que eu absolutamente adorei a última dungeon. Ela pode ser um pouco extensa demais, porém é chocante o quanto de inimigo novo e variáveis mais difíceis são colocados lá para te engajar e te deixar muito curioso no que há no fim. Isso depende muito das suas preferências. Se gosta de explorar, Lies of P vai ficar devendo essa.

Também vou elogiar como que o sistema de melhorias nesse jogo funciona. Coletar os quartzos é uma tarefa que poderia ser chata, mas durante a jogatina alguns vão surgir na sua mão e você nem perceberá que está coletando por causa da fluidez dos cenários. Eu gosto como que os desenvolvedores entendem e dominam o sistema de combate, pois quase todos os upgrades utilizando quartzo são interessantes. Até mesmo as melhorias menores tem peso no final considerável. Existem certas melhorias que eu não pensaria que colocariam pelo fato de poderem quebrar todo a fluidez do combate, porém estão lá e mesclam perfeitamente.

Normalmente, eu reconheço bons jogos facilmente e tendo não escrever tanto sobre elogiando tanto assim. Raramente vou contra jogos aclamados pelo público, pois percebo o que os faz serem excelentes de uma forma técnica. Porém, Lies of P clicou diferente comigo. Eu realmente achei esse jogo um espetáculo e fico ansioso para onde essa aventura vai continuar. Se realmente tivermos um Lies of D contando a aventura do O Feiticeiro de Oz, eu ficaria extremamente grato. Talvez eu esteja sendo bastante exagerado, mas eu realmente gostei bastante desse jogo.


Não foi o primeiro Soulslike que joguei, mas sim o que eu joguei depois de bastante tempo longe deste estilo. Foi muito gostoso relembrar a sensação de satisfação ao derrotar um chefe no qual você lutou intensamente para derrotar, e isso somado a uma estética gótica e industrial com traços de ficção, uma história sensacional e uma trilha sonora esplêndida, não tem como dar errado.

Excellent excellent excellent. Some of the most fun bosses (and the most fun boss) in any soulslike ever. Holy cannoli they really nailed it with the combat and all that. Enemies are really annoying most of the time, and their placement just makes them more obnoxious. Veeery excited for Lies of P 2.

Fantastic game, W game, W setting