2881 reviews liked by Guilherme_2807


jusante
1.
vazante da maré; baixa-mar.

A minha experiência com esse jogo foi incrível, nunca imaginei estar fazendo uma review tão positiva sobre um jogo de escalada? kk, enfim, esse jogo é incrível, ele é uma das raras exceções em que eu gostei de ser jogado em um mundo que eu não sei nada e eu preciso descobrir ele.

Jusant vai muito além da mecânica de escalada (que é muito divertida por sinal), ele te conta sobre a sua história nos mínimos detalhes, diversos personagens aleatórios citados através de cartas, dão uma profundidade tão grande, pessoas contando sobre suas frustrações, suas motivações, todos sentimentos extremamente entendíveis pela situação que você encontra os resquícios do que já foi uma civilização.

Agora falando sobre a mecânica principal do jogo que é a escalada, ela ao meu ver não se tornou chata em nenhum momento, porém em alguns momentos eu acabei me frustrando por coisas bobas como o personagem não segurar algo que eu queria (mas nada que atrapalhasse a experiência), a mecânica de escalada não se limita em nenhum momento no jogo, afinal o jogo a todo capitulo introduz algo que muda um pouco essa mecânica, fazendo com que ela não se torne massante.

Outro ponto importante a se ressaltar é a trilha sonora que encaixa perfeitamente nos momentos certos, principalmente na reta final do jogo que é bem emocionante.

Mais do que recomendado se você busca algo pra esquecer dos seus problemas e simplesmente sentar, ligar o videogame e apreciar uma história incrível.

Jogar isso ouvindo um podcast, é com certeza uma das experiências.

Recomendo

O que falar de Redfall? eu já sabia que o jogo seria um completo desastre tendo em vista que esse jogo foi demolido pela internet desde o seu lançamento e pra ser honesto, o que me deixa mais revoltado ou até mesmo triste com esse jogo, é o fato dele ter um potencial bizarro, o estúdio que produziu ele, é super talentoso e tem vários jogos grandiosos no seu currículo, e o talento desse estúdio é visivelmente notado em algumas pequenas coisas em que o jogo acerta.

Porém é como dizem, "a pressa é a inimiga da perfeição", Redfall é nitidamente um jogo feito as pressas, você repara isso em cutscenes, animações, gameplay e principalmente a inteligência artificial desse jogo.

Eu nem considero que esse jogo tenha stealth de tão podre e horrível é a I.A dele, simplesmente é impossivel tentar ser furtivo nesse jogo, somado a falta de mecânicas básicas, a única opção que resta é sempre entrar metendo bala, por que a ausência de algumas pequenas mecânicas de stealth, somadas a I.A cagada, torna o jogo super limitado.

Eu tenho milhões de motivos pra dizer em tudo que Redfall erra, mas eu confesso que, no fundo o jogo até que me agradou, eu sei é confuso dizer isso depois de destrinchar o jogo, mas eu não sei explicar bem, dentre os jogos ruins que eu já joguei, ele é o que eu mais consegui me divertir apesar dos problemas, acho que isso se deve ao fato do estúdio ser excelente em suas raízes, porém a pressa condenou uma IP que tinha um potencial absurdo, a se tornar um dos maiores fracassos da Xbox.

Eu queria muito que esse jogo tivesse sido bem executado.

Esse jogo me surpreendeu mais do que eu imaginava.

Apesar dele não ter uma cidade tão enorme, ele tem uma cidade bem concentrada e rica em detalhes, além disso, possui uma liberdade gigantesca e uma história que apesar de simples, tem personagens fofos e carismáticos.

Um dos pontos altos, também é um dos pontos fracos, a movimentação.

A movimentação do gato é super fluída e limpa, porém na hora de escalar coisas e objetos, ela se torna um pouco estranha e por muitas vezes bem bugada, ocorreu comigo até um caso de eu simplesmente entrar dentro de uma parede e ficar preso.

Fora esses pequenos errinhos, esse jogo é quase perfeito pro que ele se propõe, mitada indie.

Saímos da água e fomos pro vinho.

Esse jogo é uma sequência direta tão boa e mais bem trabalhada se comparado ao primeiro jogo, ele é muito mais criativo e com coisas que fazem sentido no universo do mario, arriscando em propostas novas, com fases muito criativas e que seriam super interessantes se fossem refeitas em algum jogo novo da franquia.

É bizarro que pontos que eu apontei na análise do primeiro jogo, como a falta de um sistema de mapas, e ver nesse jogo que realmente tem todo um mapinha bonitinho, me deixou muito feliz, por que faz dele um jogo com muito mais carinho e que mesmo com a limitação da época, eles trabalharam em um jogo original e com sua própria identidade pro gameboy.

Talvez o único defeito dessa franquia ainda seja o fato deles serem muito curtos e que os bosses apesar de serem incrivelmente bem trabalhados visualmente, ainda são muito fáceis (com exceção do boss final), tendo mecânicas muito parecidas.

Fora isso, é mais do que recomendado pra quem é fã da franquia ou só gosta de jogos antigos mesmo.

Esse jogo é uma completa loucura do início ao fim, o Mario vai ao egito, ele vai até o oceano andar de submarino, ele também vai a ilha da páscoa e luta com as estátuas de lá, luta contra karatecas, pra no fim, ele lutar contra uma nave alienígena e fugir com a Daisy, SIM, A DAISY.

Eu não sei bem dizer o quão essa loucura do jogo me agrada, eu gosto de ver o Mario em diversas ocasiões diferentes mas não sei se no estilo que o jogo colocou, me agradou, é dificil tirar conclusões sobre esse jogo também, afinal ele dura só 1 horinha no máximo, ele é super rápido, principalmente se você pegar o "caminho alternativo" que tem em todo final de fase, o que é outra coisa que eu achei muito estranho.

Vale ressaltar que o jogo não tem nenhum sistema de navegação de mundos, por mais simples que fosse, e olha que ele saiu depois de super mario bros 3 que já tinha um sistema desse.

Dificil recomendar esse jogo, tendo tanta coisa infinitamente melhor hoje em dia, se você é fã da franquia, jogue para dar umas risadas, vendo o Mario sair de um OVNI.

Meu primeiro contato com um dos primeiros jogos de uma franquia que eu amo e é bizarro parar pra pensar como esse jogo ele envelheceu como um vinho, claro que tem algumas coisas chatinhas, como por exemplo, as partes das cavernas e etc

Mas tudo nesse jogo é tão rico, por conta da limitação do gameboy, muita coisa não dava pra ser feita mas o que eles conseguiram fazer, é surreal, o jogo te transporta pro universo dele de uma forma incrivel, simplesmente fantástico.

Mais do que recomendado.

É um jogo bom pra matar o tempo se você tiver ouvindo música ou conversando com os amigos já que a história dele não tem nada demais, o jogo se sustenta inteiro em cima da sua direção de arte que é muito boa, porém peca em todo o resto, combate chato, bossfights fáceis e sem graça, escrita fraca.

Uma história gostosinha e curtinho, bom jogo.

Quase me caguei jogando isso, pena que a história dele é meio confusa e ele é curto demais.